Na sequência do trabalho anterior, os alunos do 3º ano dos cursos profissionais aperfeiçoaram e aprofundaram o trabalho já feito. A melhoria e o aprofundamento são consequência das necessidades evidenciadas pelos utilizadores cegos da tábua, bolas e tacos criados, dos desafios novamente lançados pelo empresário "Minigolfe da Costa Nova". 

Este ano foram feitas 6 novas pranchas de minigolfe adaptadas e com novos e diferentes graus de dificuldade; aperfeiçoaram-se com recurso a tecnologia do taco e das bolas; os sinais sonoros do taco são acrescidos de vibração para que pessoas com o síndrome de Usher possam usufruir da atividade; iniciou-se a organização do 1º Campeonato do Mundo de Minigolfe para Cegos em maio de 2018, na Costa Nova, Aveiro; a elaboração do suporte de logística, acolhimento e acompanhamento dos cegos; a criação de software de monitorização de resultados por parte dos participantes cegos. A patente do projeto está a ser registada pelo Curso Serviços Jurídicos.